Flores do mal: a doce duquesa

30 de ago de 2011


Pede perdão ao Bispo
por pecar tanto em pensamento.
Promete cardápios vegetarianos....

Flores do Mal: La Condesa Sangrienta

28 de ago de 2011


... sus últimas palabras, antes de deslizarse en el desfallecimiento concluyente, eran: "Más, todavía más, más fuerte!"

Referencia: La Condesa Sangrienta de Pizarnik
© Apocatastasis.com: Literatura y Contenidos Seleccionados

Flores do mal

27 de ago de 2011



"[...]formosura esfarrapada. Flutua: não acaba de ser, nem acaba de desaparecer."






(Octavio Paz. Labirinto da Solidão.)

enquanto isso, uma mulher....

26 de ago de 2011

Desliza na onda soberana da ressaca

o vento com seu ououou no oco do ouvido...
(te amo)

Sacro ilíaco cabeça do fêmur coluna ereta,

ausência de rigor no esqueleto,

íntima tarefa é viver.





uma mulher por enquanto...

25 de ago de 2011

Pede calma, água de Oxum, frescor, pássaros de balé, beijaflores, kiss,

Nijinskisses, Prince, Musicology, Illusion,

Coma & Circumstance


um sábado no sabbath
prazo, intervalo,
mistério sol

beleza!







(imagem Myrna Loy)

uma mulher quando...

24 de ago de 2011

Uma mulher quando
enfumaça, Baby querido,

embaça enquanto: Jaguadarte!

Garra que agarra, bocarra que urra!

Cuida-te

Pede clemência à Desgraça!

...to kill

23 de ago de 2011



As vozes líquidas do poema

convidam ao crime

ao revólver

[...]

(joão cabral de melo neto. o poema e a água. in. pedra do sono)

não esquece. não padece mais

cumpre os ritos...




Calçada para matar

22 de ago de 2011




Ela exercita a parte maldita:


dom, dispêndio, gasto.


Inicia, em transe, o ritual do potlatch


"dans le but d´humilier,de defier et d´obliger un rival"


(Bataille. La notion de dépense,33)

mamaezinha querida 4

21 de ago de 2011



Os irmãos (ainda sob eflúvios fatais)

da mamaezinha querida mal podiam suportar

os ruídos da matemática frenética -

torta economia amorosa -

no desavisado coração

de sua majestade

só cabia um

afinal

Nirvana

19 de ago de 2011

Foi relaxar no Nirvana

like a mosquito sua libido

voa em circulos
mergulha no prato na poça na pedra

naquela mesma inana






vendaval

18 de ago de 2011




saias,




portas,




tudo se movimenta




à revelia do desejo...

amores inventados

16 de ago de 2011



Como se o segurasse no colo

- ao mesmo tempo -
longe tão longe

se os dois mortos

estivessem



Amores inventados

Eu sou amor da cabeça aos pés
mesmo quando mordo

amores inventados

15 de ago de 2011



If I´m alive now, then I was dead
[...]
floating through the air in my soul-shift
Pure as a pane of ice. It´s a gift

(S. Plath. Love Letter)

Combinaram suicidarem-se
mas choveu....

mamaezinha querida 3

14 de ago de 2011




No dia dos pais,o tapete vermelho era dela...






(imagem de Hans Scheib)

mamaezinha querida 2

13 de ago de 2011




Ergue o monumento


diva poetisa pitonisa


passado, prersente e futuro


presos por um gancho


à barra do seu decote.








(imagem de Hans Scheib)

Luvas furadas

12 de ago de 2011


As mãos dele
a entrelinha da cintura
dela
luvas sem tato
folhas e mais folhas espalhadas no sítio
ao redor...

da série mamaezinha QUERIDA

11 de ago de 2011




Levou com ela todo o segredo sobre o sexo.



(imagem Hans Scheib)

Luvas de renda



Delicados
Gostavam de luvas rendadas
Gostavam da palavra panda
Gostavam da palavra pândega
Gostavam da palavra azul
E da palavra abril
Súbito tropeçaram
Na palavra fim.
Não passaram no teste de qualidade da fábrica.

luvas de couro

10 de ago de 2011



Ela gostava de luvas
Ele, de uvas
Esqueceram
A data do aniversário de casamento
Nada sabiam do sexo um do outro
Faziam carinhos com luvas de couro
Entre perdas e danos
Outro tanto.

luvas

8 de ago de 2011



Amor. Formigueiro quente nas mãos
e lábios
tempo dilatado
(intervalo)
entre dois
fogos de palha
soltas no ar
luvas trêmulas tocam
peso pluma de palavras



luvas

As mãos no ar
doem...
Dança de asas
No teclado
Fundo musical novo
Notas dissonantes
sons multicores
Alguém se deixa ir
Longamente

7 de ago de 2011




Luvas de pelica (dedicatória torta)

Neste monólogo
Tu não me pegas mais,
Ana C.

negro gato 4

4 de ago de 2011

necrose nos quadris
desequilibra a alma
negritude negrura
Melodia
código do segredo
com quem deita balança
dança
lança

negro gato 3

3 de ago de 2011



A cada dia sua negra magia, mel do melhor

noivado com a escuridão

betume pretume

secreta oculta

fresca e nova

ternura ...

negro gato

2 de ago de 2011

Feijoada e soul food

tensão social

corpo corpo corpo

elástico viril

regimento zulu
avô do Bento tetraneto de Xangô
segura o bode pelos chifres.

densidade de negro

1 de ago de 2011



campo de força densidade negra persistência etnica

corpo gostoso negro gato :

"Pórtico sombrio :aberto/fechado, abstrato/concreto, elemento/complemento,

para além dos pulsars, dos quasars, para depois das galáxias..." (Joaquim Cardoso)
 
Kiki Peixoto © 2008. Templates Novo Blogger